Curta a página no facebook

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Aniversário, uma festa pra te lembrar o que te resta

“Aniversário é uma festa pra te lembrar o que te resta.” A frase de Millôr Fernandes publicada na revista Isto É, àqueles anos 1970/80, trazia como ilustração uma pessoa que, enquanto assoprava as velas do bolo, por uma vidraça alcançava com os olhos a paisagem de um cemitério...

Na verdade é isto o que é... Uma música de Moacyr Franco falava em versos: “Só se vive mesmo nove meses, pois o resto da vida a gente morre”. Tem gente que adora fazer aniversário, tem gente que detesta; a mim, a mais das vezes, é um dia como outro qualquer, embora sempre prepare um bolo e alguma comidinha caso apareça alguém: afinal, vai que alguém lembre...

Em tempos de facebook e outras redes, a lembrança vem na forma de aviso em sua própria página, o que facilita a vida de todos. Uma vez, de chiste, coloquei o meu aniversário em outra data, surgiram cumprimentos, e a quem lembrava que a data não era aquela dizia eu que estava carente e por isso tinha feito o gracejo, vai ver era até verdade. Outra feita, coloquei a data em primeiro de abril, recebendo outros tantos cumprimentos.

Além de ser uma festa pra celebrar o que nos resta, celebramos também a falsidade, gente que passa por você o ano todo sem olhar na cara e que nessa data vem cumprimentar. Tem coisa mais falsa do que aquele beijinho dado no ar, sem lhe tocar o rosto? Prefiro os abraços, os apertos de mão, mas recebo também aquele de bom grado, como toda e qualquer manifestação de afetos; afinal sou mal-humorado, não mal-educado. 

Coincidentemente, calhou de ouvindo uma seleção aleatória de músicas me vir aos ouvidos “O tempo não para” de Cazuza. Agenor vai fundo na questão: o envelhecimento, a elasticidade da pele que perde colágeno e enruga, os cabelos grisalhos cada vez mais presentes como prova física e visível de que o tempo não espera que você esteja maduro. E como a música percebo que “dias sim, dias não eu vou sobrevivendo sem um aranhão da caridade de quem me detesta”, enquanto recebo os parabéns de quem veio se certificar de que vim trabalhar no dia seguinte ao Natal. E percebo que me encaixo no exato tamanho da frase seguinte: “Eu não tenho data pra comemorar”. O gênero me cabe pela pouca importância que aprendi dar à data; o número pelo dia da data que concorre com a do Cristo, na qual um dia antes todos já se empanturraram com os quitutes da época e querem mais é um arroz branco e jiló pra compensar a comilança sem fim; o grau, pela ausência natural da maioria dos amigos, colegas e conhecidos que estão fora aproveitando emendas de feriados e não poderiam vir caso eu resolvesse dar uma festa.

Poucos amigos, porém fiéis, vêm abraçar-me, recebo alguns presentes, e assim segue, ano a ano. É o que deve acontecer mais tarde, já que escrevo em hora de almoço, que curti só, na copa, comendo marmita. Afinal, outras vezes em últimos dias de férias ou regresso daquelas, esperava ter companhia para almoçar e tive que ir só aos restaurantes do bairro; então pra que arriscar, trago minha comida, mais saudável e saborosa, e como em paz sem grandes riscos.

O bom é que vai levar mais um ano pra acontecer de novo. E se desta vez esqueci o celular, não achei de todo ruim, quem sabe se torne hábito nesta data querida. Talvez encará-la (a data) assim seja realmente felicidade, sem enganos de vida.

E aí, o Tempo que não para de Cazuza me lembra de outro tempo que não para, o de Roberto Carlos: “O tempo não para e no entanto ele nunca envelhece”... Envelheço, e me enterneço com algumas das mensagens que recebo: será sinal da idade? O fato é que me alegro com essas manifestações, tanto que estou a escrever sobre o fato, a data, a efeméride tão efêmera. E então só me resta dizer: Obrigado.

Fotos: Marciano Azevedo, que é também o autor dos bolos, verdadeiras obras primas.

10 comentários:

  1. concordo com vc em quase tudo meu amigo, mas as vezes vem tambem novas e verdadeiras felicitações e amizades.

    ResponderExcluir
  2. Me fez lembrar de uma amiga que mudou a data para meses anteriores só prá ver quem realmente lembrava disso. Foi um filtro 100% eficaz!
    As felicitações falsas já estou acostumado com as festas de fim de ano e como também faço aniversário próximo ao seu, sei da questão de não ter amigos por perto e com o recesso, menos ainda já que só estarei eu naquela "folha".
    E como bem diz um amigo: "não quero parabéns hoje! Quero que a gente viva bem o resto do ano".
    Como sempre, suas palavras são exatas e diretas! (por isso gosto de ler seu blog).

    ResponderExcluir
  3. Em geral no dia do meu aniversário encaro como um dia normal, mas fico feliz com a lembrança e palavras das pessoas que aprecio e me acrescentam. Carinho sempre é bom e vc não é mal-humorado. rsrsrs
    Adoro suas 'reflexões".

    ResponderExcluir
  4. Pra mim é exatamente ao contrário. Dia 25 de dezembro é o dia que meu pai faleceu em 1990. Faz vinte e dois anos que eu tenho o quê pra comemorar? Troca de presentes? Ceia com parentes, falatório, barulho...?
    Quanto à questão do aniversário eu de propósito esse ano fechei minha conta do facebook o mês inteiro do meu aniversário. Quantos me ligaram?

    ResponderExcluir
  5. -Djair, você não me engana! Disse que seu aniversário "a mais das vezes, é um dia como outro qualquer". Fale verdade! Você tenta ser durão, mas no final do texto você confessa que "Envelheço, e me enterneço com algumas das mensagens que recebo: será sinal da idade? O fato é que me alegro com essas manifestações, tanto que estou a escrever sobre o fato, a data, a efeméride tão efêmera. E então só me resta dizer: Obrigado."
    -Aproveito para enviar meu abraço para o seu próximo aniversário, no ano que vem!
    Luiz Otávio Pereira

    ResponderExcluir
  6. Muito boa a crônica! Gostei muito, embora eu não ligue muito para datas comemorativas (acho que existem outras maneiras de honrar e homenagear pessoas queridas). Gostei do bolo do Ben 10! ;-)

    ResponderExcluir
  7. Excelente texto como todos os outros, porém eu tenho uma visão um tanto quanto diferente a dos amigos... Primeiro porque eu amo meus aniversários, pois é a oportunidade de celebrar a vida, pois como alguns sabem o momento do meu parto foi um pouco conturbado, ficando sequelas fisicas sobre meu corpo, por isso eu vivo meus aniversários, mesmo que as vezes convidando o mundo e comparecendo uma parcela diminuta dos convidados, e não me importando se trazem consigo presentes e se seus votos de saúde e felicidade são sinceros ou não... o que importa é que estou vivo!

    ResponderExcluir
  8. Parabéns Djair querido, que 2013 seja principalmente um ano de sorte!! Le

    ResponderExcluir
  9. Realmente meu amigo mais uma vez tentei deixar registrado lá o meu comentário, mas não consegui, pois conforme lhe expliquei no Facebook deve mesmo estar ocorrendo alguma Falha no Blogger que deve ser relacionado a mim que não descobri ainda visto notar que lá tem outros comentários de outros blogueiros, então registro aqui o que gostaria que lá estivesse bem assim: "Parabéns por tão belo post que nos toca a todos uma vez que trazer uma abordagem diferenciada sobre tal data do aniversário de cada um de nós e dos nossos amigos e amigas, legal gostei mesmo e vim até aqui deixar o meu abraço em especial e dizer que me chamou bastante atenção entre outras tantas de suas observações que faço o destaque desta aqui: "... E como a música percebo que “dias sim, dias não eu vou sobrevivendo sem um aranhão da caridade de quem me detesta”, enquanto recebo os parabéns de quem veio se certificar de que vim trabalhar no dia seguinte ao Natal. E percebo que me encaixo no exato tamanho da frase seguinte: “Eu não tenho data pra comemorar”. O gênero me cabe pela pouca importância que aprendi dar à data; o número pelo dia da data que concorre com a do Cristo, na qual um dia antes todos já se empanturraram com os quitutes da época e querem mais é um arroz branco e jiló pra compensar a comilança sem fim; o grau, pela ausência natural da maioria dos amigos, colegas e conhecidos que estão fora aproveitando emendas de feriados e não poderiam vir caso eu resolvesse dar uma festa"...
    Charles Neto

    ResponderExcluir
  10. Uma data linda que Deus permitiu sua existência,que também é divina.
    Que lhe sejam concedidos infindas primaveras..Porque para mim,mais um ano de vida,será sempre uma flor plantada no jardim da vida.
    Que o seu jardim seja bastante florido,Dja!
    Comemore sempre!!
    Beijão,Dani!

    ResponderExcluir