Curta a página no facebook

quinta-feira, 7 de junho de 2012

E então, preparado?


Você está preparado?

Pra que? Não importa... Está ou não está?

Sente-se preparado para ir adiante, ou pretende recuar à vista do desconhecido? Arrisca-se e atira-se de cabeça, ou recua ao menor sinal de desconforto?

Medo de que a água seja fria? Medo de que sob a superfície límpida e cristalina haja um lodaçal podre onde se afunda lenta e tediosamente e nenhuma força o resgate?

Quantas oportunidades, quantas bem-aventuranças, deixamos passar por não nos sentirmos preparados! Por nos acharmos incapazes e, com isto, nada somos, senão relapsos quanto a nosso próprio destino e papel enquanto bem-aventurados moradores do planeta, devedores de responsabilidades quanto a ele e quanto aos companheiros de viagem, não no papel de protetores e acalentadores, mas de desenvolvedores de sua intelectualidade e sua capacidade de desenvolver a si mesmos...

Uma coisa é saber teorias, outra é conseguir transformá-la em prática, e assim fazer com que essa energia mude. Sim, o texto hoje está um tanto messiânico, e se não é de agrado, pode parar a leitura aqui, como me disseram ontem em tosco comentário: “Visito seu blog, mas eu sou jovem (embora a pessoa em questão já tenha a idade para ser e comportar-se como adulto) e jovem não lê textos grandes.” Olha, taí, passei a admirar aqueles que fazem plásticas e pintam cabelos ocultando anos na face e na cabeça mas a desenvolver intelecto e sabedoria. E respondi que não é o fato de ser jovem o que faz ler ou não textos grandes... Aprofundar o diálogo? Não era o caso nem valia a pena...

Geralmente atendo ao telefone, com esta palavra: “Pronto!” Uma vez, anos atrás, uma amiga daquela época, me liga e ao ouvir o meu “Pronto!” pergunta de chofre: “pronto, pra quê?” E eu imediatamente em xeque-mate: “Para o que der e vier!” E ela: “Nossa, quando liguei pro Lino, ele também atendeu falando: 'Pronto' e quando respondi pra quê, ele respondeu: 'pra tomar café'. Fiquei tão decepcionada...”

Mas para o “estar preparado” quando se está? Como se está? Para que se está? Bem, voltando ao messianismo da narrativa, sempre acreditei que as coisas acontecem. Sejam elas relacionamentos, mudanças, topadas... Pelo menos comigo, a maior parte das vezes foi assim, e acredito que se elas aconteceram, eu estava preparado para aquilo. Ou não aconteceria. Então... sim, estou... Posso arrepender-me? Sim, e muitas vezes vou... mas não seria pior lamentar não ter feito, experimentado? Então... tem-se que estar preparado até para recusar experiências, aprofundamento de relações e aprimoramentos.

Texto difícil de escrever foi este, expressando realmente o que quero passar, o que quero dizer, mas se você está preparado, vai entender. Então, se não entendeu... Prepare-se. Atire-se, creia, questione, pese, meça, recapitule, mas ao final... Esteja sempre pronto!


8 comentários:

  1. Eu caio pra dentro, vou com tudo e topo tudo rs

    ResponderExcluir
  2. A-D-O-R-O textos messiânicos!
    Está pronto para o frio deste feriado?
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. ME preparando.....

    Gá VB

    ResponderExcluir
  4. A questão não é estar preparado e sim aberto as possibilidades. O novo, o desconhecido, assusta, muitas vezes engessa, porém, se não nos lançarmos à descoberta, a investigação, ao encantamento, estaremos impedindo o movimento da vida. Este sim, pode nos causar felicidade e dor. A preparação ,acontece, no meio desse processo, que depois de vivenciado torna-se em sabedoria e experiência. Bjks

    Gina Guimarães

    ResponderExcluir
  5. Legal, Djair! Pra mim tb faz muito sentido!
    Bkas.
    Rita

    ResponderExcluir
  6. Adorei o texto!! Acho que estar preparado para experiências novas é ilusório porque quase ninguém está, mas se não as vivermos ficaremos estagnados, presos em nosso mundinho medíocre e sem graça.

    ResponderExcluir