Curta a página no facebook

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Verbalizar


 Uma coisa há de se falar a favor das redes sociais, além do muito que é dito, discutido, explicado por especialistas (ainda mais nesta época em que há especialista pra tudo): elas servem para que muitas pessoas, que engolem em seco seus sentimentos, reflexões e tormentos, os coloquem pra fora.
Funcionam em muitos casos que vejo como uma terapia. É um saco ver muita bobagem que muitos postam? É! Sobretudo meiguicesinhas e rezinhas, simpatiazinhas e preconceitos servidos à mão cheia, alegadamente como pretensões humorísticas. Enchem-me mais o saco que aquele que vai ao banheiro e ali coloca: “fui ao banheiro” ou que almoça todo dia no mesmo lugar e à mesma hora e todos os dias faz o tal “Check in”, colocando no outdoor virtual o vazio de suas vidas.
Mas... E como digo, sempre existe um “Mas...” servem-lhe também de terapia, como já disse; afinal o que tem para falar, além disto? Muitos não têm opinião sobre nada, e talvez seja melhor do que ter opinião sobre tudo, como muitos querem mostrar, e nessa ânsia mostram que tem opinião sobre tudo, mas que ela é superficial, fragmentada e não resiste a uma arguição mais elaborada. Ou seja, opinião sobre tudo, mas sem densidade alguma. Mais ou menos como aqueles que se colocam à disposição para tudo e sempre que precisar, só que nunca têm tempo.
Por outro lado, há as grandes sacadas, tiradas memoráveis, risíveis mas profundas, e os conhecidos, que de meros conhecidos passam a amigos, graças às discussões que ali se geram, os embates que se aprofundam, as “não concordâncias”.
E assim como trato muitas indagações que trago dentro de mim no blog, muita gente exorciza seus monstros em postagens curtas sobre seus sentimentos daquele instante, deixando o fígado com menos bílis.
E o Verbo se faz palavra, pois muitas vezes, é mais fácil o verbo se fazer carne que ser expresso oralmente, afinal os nós na garganta servem para isso: prender as palavras e sentimentos lá dentro, fazendo mal às vísceras, já que não os colocamos pra fora. E tome somatizações e mal estares físicos e mentais. Aliás, na rede também eles se formam, de outro naipe certamente, por má interpretação do que é dito, por melindres e dedos em feridas, colocados mais ou menos conscientemente, pequenas estocadas com palavras digitadas, que jamais serão “expressadas” de outra forma.
Eu, que sou mestre em criar os mais mirabolantes e sangrentos planos de vingança, sem nunca ter coragem de realizá-los, esperando sim que a lei do retorno haja, acredito que falar e escrever é melhor do que concretizá-los; afinal quem é experto em puxar tapetes nunca o diz. E como o texto tem vida própria e já vai tomando outro rumo, conclui-se que está na hora de terminar. Exorcize também um pequeno monstro ai no link dos comentários. – Risos.

10 comentários:

  1. Caramba amigo...botou pra fora tudo que pensa ou ainda tem mais muniçao...deve ter...vc é uma fonte inesgotável como bom escritor que é.
    Gostei do que vc escreveu...é verdade mesmo mas pense que tem muita gente que tem medo de expressar o que sente...nem sempre as verdades devem ser ditas contundentemente...acho que o face que é onde entro deve ser para "confratenizar" fujo das polêmicas que nunca levam a nada mas todos tem o direito de postar o que bem entenderem e eu de curtir ou nao...concorda??
    Beijao meu querido e siga dizendo sempre o que pensa vc tambem tem todo o direito de se expressar como bem entender...te gosto como és...

    Soni@

    ResponderExcluir
  2. Bom....reflexões escritas...reflexões compartilhadas. Parabens pelo texto....como se diz: para achar um diamente virtual é preciso cavar muito nos posts. Post como terapia? Que nada...é só a pratica do narcisismo e do "olhem para mim...eu existo". Um tanto quanto imaturo é o que se vê por ai. Não mentirei que tenho meus momentos de "veja o que fiz ou que estou fazendo", mas, limite é limite.

    ResponderExcluir
  3. Apesar de concordar "um tanto bão" (expressão poços caldense que designa "quase tudo") com o texto que foi magistralmente construído, penso que as redes sociais são feito vitrines sociais, mostrando particularidades a nosso respeito que nem sempre expomos na vida real, por exemplo, meus amigos ficam sabendo da minha veia literária, podendo concordar ou não com minha postagem, não serve para aparecer como o comentário acima, pelo contrário, serve para divulgar a expressão, seja por imagem, som e palavra.

    Verbalizar é preciso sim! e com certa urgência, mas é dificil em meio a tanta babaquice que se expressa em nome da liberdade de expressão, pessoas se conectam nos meios virtuais para postar o que há de pior na tentativa de provocar do riso ao espanto e com isso conquistar "curtições" e comentários, na ilusão de estar formando uma espécie de opinião pública, que se formar é completamente burra e absurda. Por essa razão acredito que as redes seriam ótimos complementos se de fato houvesse uma leitura sobre a realidade, um olhar a volta, uma sondagem nos sentimentos para que as postagens compartilhadas tivessem fundamento e algum outro significado para quem lê e dessa maneira auxiliar a reflexão e quem sabe uma transformação na vida do leitor.

    ResponderExcluir
  4. Acrescentando ao meu comentário anterior, gostaria de dizer que ainda existem travas não só na garganta, mas nos dedos, vejo pessoas que tem tanto a dizer e preferem guardar pra si aquilo que poderia ser expresso para todo o mundo. Um direito da pessoa pois faz parte de sua subjetividade, mas quem sabe se transmitisse suas mensagens pudesse fornecer mais conhecimento e luz para o mundo que carece tanto. Portanto Verbalize-se

    ResponderExcluir
  5. Bom texto, como sempre, eu tenho trava nos dedos mas a lingua é afiadissima. Continue nos fazendorefletir. Djair

    ResponderExcluir
  6. O que me incomoda é conhecendo algumas pessoas, vejo que seus posts são dissonantes em relação a personalidades delas.

    ResponderExcluir
  7. Djair, querido amigo!!!!

    Você é igual a mim: esperto que só! rs
    Uso as redes sociais para o que bem entendo, tentando, obviamente, fazer daquelas, um espaço interessante e/ou divertido para todos!
    AS ofensas e bobeiróis que vemos fazem parte, como de qualquer local, seja profissional, familiar, em rodas de amizade... O negócio é passarmos por cima disso tudo, e nos prendermos ao nosso foco, seja ele qual for...
    Não sou tão "certinha" assim: confesso que adoro aquelas bobeiras que vejo tantas vezes! Em determinados momentos, é tudo o que quero ver ou ler, é tudo que satisfará o meu interior pós-labuta angustiante... kkkkkkkkkk
    Uma das melhores coisas que a internet poderia nos oferecer, são as redes sociais. Que saibamos apenas usar em nosso prol, sem atrapalhar a outrem!...
    A única coisa que não tolero são as abertas declarações discriminatórias, como andou rolando por esses dias em relação ao nordestinos. Essa atitude é tão nojenta, que nem vou me ater muito a isso; nessas horas, me dá vontade de parar de acessar as redes... Tirando isso, estamos no lucro!...

    Abração daqueles!!!!

    Mary:)

    ResponderExcluir
  8. Djair, querido amigo!!!!

    Você é igual a mim: esperto que só! rs
    Uso as redes sociais para o que bem entendo, tentando, obviamente, fazer daquelas, um espaço interessante e/ou divertido para todos!
    AS ofensas e bobeiróis que vemos fazem parte, como de qualquer local, seja profissional, familiar, em rodas de amizade... O negócio é passarmos por cima disso tudo, e nos prendermos ao nosso foco, seja ele qual for...
    Não sou tão "certinha" assim: confesso que adoro aquelas bobeiras que vejo tantas vezes! Em determinados momentos, é tudo o que quero ver ou ler, é tudo que satisfará o meu interior pós-labuta angustiante... kkkkkkkkkk
    Uma das melhores coisas que a internet poderia nos oferecer, são as redes sociais. Que saibamos apenas usar em nosso prol, sem atrapalhar a outrem!...
    A única coisa que não tolero são as abertas declarações discriminatórias, como andou rolando por esses dias em relação ao nordestinos. Essa atitude é tão nojenta, que nem vou me ater muito a isso; nessas horas, me dá vontade de parar de acessar as redes... Tirando isso, estamos no lucro!...

    Abração daqueles!!!!

    Mary:)

    ResponderExcluir
  9. Eu sou suspeita em argumentar qualquer coisa a respeito de redes sociais, mesmo porque, conheço e uso apenas o facebook, entretanto, digo por mim, que muitas vezes me enervo com as postagens que vejo e leio, talvez por minha própria culpa, por quem sabe estar passando por um momento não muito harmonioso, ou por ser chata, ou até mesmo por ter uma certa arrogância no pensar. O que eu não queria é que as pessoas fizessem um conceito errado de mim. Às vezes não consigo verbalizar o que sinto e acabo por machucar meu interlocutor com palavras ásperas e sem cuidado. Sou passional. Tenho que aprender a suavizar minha alma. Não quero ter "Aquela velha opinião formada sobre tudo". Uma coisa sei: Tenho um amor imenso por toda a criação de Deus. Defendo causas sociais com todo meu coração e sei que sou muito criticada por isso. Contudo não desisto! Muitas vezes jogo a toalha! Fica braba! Depois esqueço e sigo adiante. Tenho a real noção de que nem todos pensam como eu, entretanto também sei que muitos estão comigo. Saber que Deus pôs em meu coração um sentimento bom, já me é suficiente para viver e acreditar num mundo melhor. Deus seja louvado sempre! Beijos Djair, meu amigo.
    Ana Angélica.

    ResponderExcluir
  10. Gostei, penso de modo semelhante e uso meu blog para expressar meus pensamentos, sentimentos, opiniões sobre lugares que frequento e expressar minha fé e curiosidades.
    Espero sua visita.

    Fazemos parte da "Comunidade Filosofia" no Face.
    Abs.
    http://denisepuppin.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir