Curta a página no facebook

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Silêncio


Ai de mim, que tenho tanto a dizer
e engulo as palavras com receio do que seu som possa revelar

Ai de mim, que tenho tanto a verbalizar
E engulo as palavras com medo do que os ouvidos alheios possam interpretar

Ai de mim, que tenho tanto a gritar
e engulo as palavras com medo de que não saiam exatas

Ai de mim, que se pudesse
Gritaria ao mundo
As dúvidas que me afligem, os medos que me calam,
As vontades que me torturam

Ai de mim, que não encontro ouvidos sãos
Que se aconcheguem a minha boca, para que com as mãos em concha eu lhes possa sussurrar
Segredos, vontades, sonhos...
Poesias, causos, revelias...
Dúvidas, certezas, rebeldias...
Pesadelos, aflições e zelos...
Ou simplesmente o ruído abafado da respiração de quem cala todos os medos. 


12 comentários:

  1. Mano, isso aqui é um fado tupiniquim, tomaste porto, ou algum alentejano? ficou muito bom... as vezes devemos mesmo engolir as palavras...

    ResponderExcluir
  2. Gostei! Muito bom! Então quer dizer que a chuva e o frio te inspiram... acho que é a instropecção que este tipo de clima traz. Tudo na vida tem seu lado bom.
    bjs
    Rosangela

    ResponderExcluir
  3. Menininho
    Essa poesia diz tudo qu e as vezes tenho vontade de dizer
    bjs
    Rita

    ResponderExcluir
  4. Muito lindo. tem momentos que só o silencio. Parabéns
    Disse tudo ,,,,,,,,Viva a chuva e o Frio que venha mais, parao nosso deleite.

    Carminha

    ResponderExcluir
  5. Lindo!!! E revelador da censura que nos assalta, quando a tanto a revelar. Ainda bem que tua poesia é revelação a todos nós. PARABÉNS!! SUCESSO!! Nós leitores, brindaremos. *Y*M*

    ResponderExcluir
  6. ...*quando HÁ (faltou o H - rsrs)tanto a revelar ...

    ResponderExcluir
  7. Ai de nós que não podemos ouvir o que você tem a dizer.
    Ou será que é melhor continuar a não a ouvir? Não sei.
    Belo texto.
    Abraço.
    Luiz Otávio de Lima Pereira

    ResponderExcluir
  8. Linda poesia. Diz muito sobre mim.

    :.FES.:

    ResponderExcluir
  9. Não só temos ouvidos para você, como olhos para ler e aprecisar seu talento literário! Beijão, Ra

    ResponderExcluir
  10. Esta poesia brilhante vem de encontro ao evento de lapso temporal que te descrevi na nossa última conversa. Perfeita! Bjs!

    ResponderExcluir
  11. as vezes o silencio também pode machucar pois não contamos pra mais ninguem o que sentimos...e isso nos torna homens doentes!!sem contar que precisamos conversar com nosso EU pessoal...saber quais são nossos anseios e receios...lindamente escrito!!!abraço

    ResponderExcluir
  12. Ai de nós mano... silêncio é uma parada muito legal e necessária. Mas como somos eternas crianças. Quando criança tá muito quieta é que tá aprontando hehe. Eu pelo menos sou assim. Abraço

    ResponderExcluir