Curta a página no facebook

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Lavando a louça suja

Uma das coisas com as quais, acredito, eu nunca vá me conformar, é a imundície com que vivem algumas pessoas, o modo como se comportam, mesmo vivendo em sociedade. Não falo de nômades, andarilhos ou náufragos, presidiários ou asilados, mas de pessoas com educação formal adquirida e à primeira vista comportamento social adequado. Mas já disse o cantor: “de perto ninguém é normal.” 

Dia desses, uma amiga, advogada, comentava chocada sobre o atendente da sala da OAB de um fórum, que lhe atendeu comendo bolachas... Já vi pessoas em outros trabalhos com o mesmo tipo de alimento à boca, e os farelos a saltarem na cara do “atendido”. Mas nem me choquei tanto quanto o que ainda havia de ver... 

Um dos absurdos freqüentes é a sujeira em refeitórios de ambientes de trabalho. Afinal, se em suas casas os funcionários quiserem pias em urinóis, que o façam, nada tenho com isso, mas imagine em um espaço compartilhado por várias pessoas, o quão desagradável é chegar para sua refeição, ou um lanche, o que for, e encontrar o micro-ondas repleto de restos de comida, porque as pessoas o usam sem tampar suas marmitas e depois não vão se dar ao trabalho de limpá-lo, é claro. E aí, tome molhos vermelhos, brancos e furta-cores, pequenas crostas que poderiam ser de feijões, arroz, crocodilo... Quem sabe seja um jogo do adivinha que esteja a acontecer e eu é que não fui chamado a participar... 

E a pia? Bem, esta é um capítulo à parte, tem gente que deve achar bonito, vai saber... Mas sempre estão lá, os restos de arroz, enchendo a tela que os impede de ir ao ralo... E não, não é por falta de aviso. Colocam-se cartazes, com ilustrações inclusive de uma pia pavorosa, e com solicitação para que, ao lavarem suas marmitas, recolham seus restos e joguem ao lixo, mas... Dá trabalho... Ou então quem sabe é uma tara semelhante a de um personagem de novela recente que sentia tesão por cheiros fortes... Tem tanta patologia estranha por aí... Por isso mesmo os cartazes foram retirados... Mas também, nem adiantavam mesmo... 



Outros tomam cafés, chás, água, enfim, o líquido que os apetece, e ali mesmo na mesa largam seus copos sujos, e quem quiser que os recolha e jogue-os no lixo. Estranho, conheço gente que sempre teve empregados, e que jamais procederia assim... 

Banheiros de espaços públicos, esses então... Não estranhei que o banheiro reservado apenas a funcionários tivesse dia destes com a tampa toda respingada de urina... Não estranhei, não... Afinal, estranhar depois de ler um dia “pixado” na porta de um banheiro de conceituada universidade: “Sou aluno do 4º ano de medicina e todo dia uso este banheiro, nunca dou descarga, para que todos vejam a minha obra”. Comento? Melhor não... Mas a partir daí não me causa estranheza que banheiros femininos tenham que ser fechados ao serem entupidos por absorventes ali jogados... Às vezes, acho que há uma guerra em curso, uns urinam nos vasos porque quando vão lá estão com dejetos, outros não dão descarga porque quando vão usá-los estão com as bordas repletas de urina. E não é porque não tenham mictórios... Trata-se de represália... Só isso explica... 

Outro dia quase falei pra namorada de um rapaz, que era acariciada no rosto por ele, que o jovem mancebo tinha acabado de sair do sanitário e sequer tinha lavado as mãos... Mas enfim, ela o escolheu, ela que arque.
E tem gente que se horroriza quando alguém, por sentir náuseas ou simples excesso de saliva, cospe no chão. Não se choquem, existem coisas piores por vir...


Foto: Carol Bracht Souza - A Pia citada no texto. 
Como hoje é dia de feira, e as pessoas vão comer pastel, não está em seus piores momentos.

12 comentários:

  1. Como já disse uma honorável senhora "Existe pobreza e existe "mundiça"

    ResponderExcluir
  2. Verdade Ivone, minha mãe sempre diz... rsrs
    Legal você ter lembrado da frase dela.

    ResponderExcluir
  3. Sempre fui a chata dos bilhetinhos do refeitório... Hj não uso mais, almoço fora, mas me irrita profundamente qdo não tampam o pote de bolachas ou usam a colher do açúcar para mexer o café mesmo tendo aqueles palitinhos descartáveis para isso. Odeio cheiros fortes, principalmente de comida ou sujeira e isso foi determinante para eu não almoçar mais conjuntamente. Tinha náuseas diariamente. Mas infelizmente convivo com colegas porquinhos - que os suínos me perdoem o trocadilho. Tem uma que só lava o cabelo qdo vai ao salão de cabelereiro, isso uma vez ao mês. Não consigo nem ficar perto! argh! Não sei como o marido aguenta dormir na mesma cama! rs

    ResponderExcluir
  4. Realmente, nada do que foi relatado aqui é mentira. E outra: ainda tem coisa pior. É uma lástima. É um absurdo verificar que pessoas tidas como "educadas", "estudadas" ainda façam coisas desse tipo. Depois não venham falar que só pessoas pobres ou que não estudaram são porcas. Conheço pessoas pobres, mas limpas. Ótimo! Quero continuação...

    ResponderExcluir
  5. É a barbárie... Mas o que é pior que tudo isso???? Agora fiquei curiosa, espero o próximo post, bjs!

    ResponderExcluir
  6. Bom eu costumo dizer que sou pretinha, mas limpinha... Já participei deste ambiente que pelo visto não mundou em nada. Onde convivo atualmente não é muito diferente as vezes dou uma de louca e aviso sobre o absurdo que está acontecendo, melhora por um tempo depois o povo esquece ou melhor faz-se de esquecido. É o negócio é tentar nos incomodarmos menos e ou evitar esse lugar compartilhado por pessoas que se dizem educadas, pois para mim é pura falta de EDUCAÇÃO.

    ResponderExcluir
  7. Bom, o banheiro FEMININO e restrito ao uso de funcionárias está cada vez pior. E dizem que mulheres são mais "limpinhas" e cuidadosas... HA! Acreditamos que por serem pessoas que se conhecem e diariamente estão juntas, teriam maior cuidado... ilusão! Concordo com a questão da falta de educação. Provavelmente é o "melhor" que alguns conseguem fazer. Passamos grande parte do nosso tempo em nosso ambiente de trabalho, então deveríamos zelar para que fosse o melhor lugar possível para estar, comer... enfim, conviver. Então vamos prestar atenção gente! Xô imundicie! Xô preguiça, ou seja lá o que for... rs. Ai credo!!!

    ResponderExcluir
  8. Realmente é de dar nauseas!!!
    Eu deixei de almoçar porque tenho refluxo+ gastrite enfim , e tb por isso que acontece nessse local é de dar nojo, alem do que o ambienet cheira podre , ranço

    ResponderExcluir
  9. Tem tanta gente c/ aparencia de principe e princesa e que "curte" uma sujeira básica..
    É um absurdo! Vivemos num mundo de aparencias...todo mundo quer aparentar ser rico, bem educado, culto...mas aí, quando chegamos aos "bastidores" da vida, que obrigatoriamente são frequentados por todos, é que vemos onde estão a riqueza, a educação e a cultura...
    Amei! Quero o 2º capítulo!

    ResponderExcluir
  10. Hummm, tenho muita sorte pelo que vejo, no trabalho apesar de muita gente comer na copa, que tem cerca de 2 metros quadrados, está sempre impecável.

    O mesmo não se pode dizer dos banheiros, que às vezes está caótico, mas eles são públicos, logo...

    J

    ResponderExcluir
  11. A imundice,tá geral.Eu que não como em locais públicos,evito ao máximo ir à sanitários públicos,pois tudo é um lixo só.O povo não tem consciência de higienização,infelizmente.

    Djair tem selos lá no blog pra ti,com novo endereço:http://dani-ecosdomeueu.blogspot.com/
    Bjão!Dani.

    ResponderExcluir
  12. Caracolis Djair, onde trabalho é a mesma coisa e pior: O lugar não tem janelas, ventiladores ou ar condicionado. Não exista ventilação naquele lugar. Nos dias de calor não precisa nem esquentar a comida de tão quente que é o lugar! ( A comida fica quente automaticamente) Os restos mortais das marmitas dos colegas estão idênticas a foto do blog.... As marmitas quando em saco plástico dentro da geladeira vc pode ter uma grande surpresa ao abri-lá. Não encontrar o pedaço da carne que era seu ( acredite isso aconteceu). A última vez que abri a geladeira existia uma mala de ferramentas com cadeado. Olha a que ponto chegamos!!!! Microondas? Tenho medo de abrir, é capaz de um monstro me devorar... E no mesmo lugar existe uma pequena mesa com 3 cadeiras. O setor no mínimo tem 20 funcionários no período. Vc acha que eu ainda como por lá? Passo longe daquela porta....

    ResponderExcluir