Curta a página no facebook

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Noite de Lua Cheia... Uivemos.

 

Foto: Estela Takahachi (Tomie) Lua em  vista no céu de São Paulo, 2012.


Ontem indo à dentista, caminhando, pela rua, já noite, olho e me deparo com uma das mais belas luas que pude ver nessa cidade. Cheia, tão branca quanto a poluição da urbe permite, o que quer dizer que estava mais pro amarelo, bege, ou o que o valha, e perderia feio para a vestimenta da asséptica Silvia (a dentista citada), com sua roupa descartável que a deixa com ares de noiva, de orixá, de freira da ordem das Marcelinas; enfim, a lua não tinha o seu branco total radiante, mas ainda assim bela, mística, encantadora... Sim, sim, tens razão, é um texto piegas, daqueles que luas e romances suscitam.
Afinal, a lua começou a desencadear lembranças a seu respeito, de uma vez que eu revoltado sei lá com quê, possivelmente comigo mesmo, pois as revoltas sempre são com o desalinho em que nos encontramos com as situações, estejamos certos ou não. Estava de bode, portanto, e uma amiga daqueles distantes anos 1990 chamou a atenção para o quanto estava bela a lua, e eu, que só dei conta de minha condição mental naquele instante, respondi: Devia cair!
Mas a de ontem, ah, a lua de ontem. Fez-me lembrar de Minas, de Ubatuba, quando pela estrada à noite, a dirigir, sempre que a oportunidade aparecia, parava o carro em um trecho de estrada sem luz para apreciar lua e estrelas. A visão do céu no planetário é linda, mas artificial, nada a que se possa comparar a delicia de parar numa estrada longe de luzes artificiais e contemplar o céu. E daí me veio à cabeça o romance da lua, cantado por Amelinha nos (mais distantes ainda) anos 1980, tradução de um poema de Garcia Lorca, em Romanceiro Cigano,  onde os ciganos, apossando-se da lua, “com seu coração fariam anéis e colares brancos.” E veio-me à mente a imagem de ciganos a trabalhar pedaços de lua com martelos, bigornas em fogueiras, que também combinam com ciganos, e em fornos, que devem servir a isso, a trabalhar metal, a forjar joias e não armas, a servir para assar bolos, tortas e biscoitos, e não gente. Sejam de que etnia, religião, ordem forem, tenham o sexo ou preferência sexual que tiverem, sejam inocentes ou filhos da puta, até porque muitas putas tem filhos bons, muitas putas são boas mães, e putas também têm sentimentos e moral. E a lua brilha pra elas também.
Não, não me lembrei da “Lua de São Jorge” do Caetano, que só agora me ocorre, mas dos ciganos, das putas, do desejo que ela caísse. Não me lembrei do anel da Lua que Omar Cardoso, astrólogo, fazia propaganda em tempos em que se acreditava que ele (o anel) era feito com pedras trazidas da lua por astronautas, eu cujo uso seria de alguma forma benéfica.
Lembrei de outra lua cheia, linda, à beira da praia de Boa Viagem, em Recife, e outras tantas luas... A maior delas em João Pessoa, em uma noite linda enquanto comíamos um belo pargo frito e tomávamos cerveja a guisa de jantar. Pois é, a lua ainda me suscita essas coisas, o que me leva a concluir que ainda não estou de todo perdido... É isso... Hoje tô de Lua.

12 comentários:

  1. ADOROOOOOOOOOOOO...E VIVA A LUA CHEIA .......=] E VAMOS COMEMORAR HJ COM MUITO LAMBRUSCO ESSA LINDA LUA CHEIAAAAA....AMEI O TEXTO AMIGAO ....

    ALAN COSTA =]

    ResponderExcluir
  2. Meu querido e amado Djair...vc é um romântico e escreve e descreve como ninguem...a lua tambem me faz lembrar de Guaíra onde contemplei o ceu mais lindo que já vi na minha vida...um manto de estrelas e o silêncio só cortado pelos bichos do mato onde estávamos acampando...aqui mesmo em Málaga vi uma lua enorme refletida nas águas do mar de Torremolinos...de fato a lua é mágica e brilha para todos sem distinçao nenhuma.
    Vc é meu gênio preferido...continue assim porque se melhorar estraga.
    Beijo enorme com todo meu carinho...Soni@

    ResponderExcluir
  3. Hoje fiquei sabendo que teremos duas luas cheias em agosto e este fenômeno se chama lua azul, não é lindo e poético?

    PS: Djair, não dá para você doar alguns de seus neurônios para mim?

    ResponderExcluir
  4. " Oh Lua que bom que vem me ver..." Como sempre,Parabéns!!!!!!!!!!!!!! Djair!!!!!


    Alex...Araújo

    ResponderExcluir
  5. AUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU... isso me fez lembrar os anos em que fiz pedagogia em Minas, nos dias de lua Cheia tinhamos um compromisso subir o morro do Cristo bebermos vinho e apreciar a lua nota mil...

    Lua de prata que cai sem parar... (é assim mesmo a musica?)

    Abraços Rafinha!

    ResponderExcluir
  6. Belo texto, moço, e quando falam que estamos de lua.......que seja esta, cheia de amor e vibrações para compartilhar com as pessoas. Lua e sua forças em cada fase. Lua de Ogum meu pai, quando ficava em atibaia começa a olhar sem parar,... Bem que a lua te proteja no dia 28, e continue escrevendo muito....... beijos Carminha

    ResponderExcluir
  7. Sempre comento com algumas amigas quando a lua está de tirar o fôlego, acho que vou uivar rsrsrsrs Ela anda maravilhosa!!

    Gina Guimaraes

    ResponderExcluir
  8. Agora entendi a sensação que tenho ao ver a lua,vontade de uivar.Dá próxima vez vou uivar mesmo.rsrsrsrs

    Lúcia Richa

    ResponderExcluir
  9. amo a lua!!! é minha benção particular...e ler um texto dedicado a ela me faz viajar e lembrar de todas as luas que eu já parei para ficar admirando...obrigada meu amigo...

    qto à roupa branca...deixa prá lá...rsrsrsrs

    Silvia

    ResponderExcluir
  10. Na companhia de um bom Lambrusco.........e um lobisomem! Auuuu!
    Jorge Zacharias

    ResponderExcluir
  11. A lua quando ela roda é nova, crescente ou meia-lua, é cheia, quando ela roda, minguante e meia, depois é lua nova... Qts músicas a respeito dessa meiga e solitária senhora.
    Lua Branca linda. Sou lunática e romântica. Romantismo combina com luas. Bjs Djair.

    ResponderExcluir
  12. Hoje também tinha uma lua cheia super linda em São Paulo!!!
    Meu querido, mil vezes você de lua do que de bode! ... rsrsrs
    bj

    ResponderExcluir